A técnica da mentoria reversa vai revolucionar seu negócio!

Quando se fala de mentoria, a primeira imagem que formamos é daquele colaborador com uma longa estrada na empresa e com experiência de sobra compartilhando suas vivências com funcionários estreantes na casa, em início de carreira ou de uma nova atividade na organização, não é mesmo?

Pois é, mas os tempos mudaram e com ele novas práticas fazem parte do mercado corporativo. A mentoria reversa é uma dessas novidades. Se você nunca ouviu falar sobre isso e está imaginando um jovem ensinando algo a um alto executivo, por exemplo, você está completamente certo!

Como funciona a mentoria reversa?

O processo de colocar em contato profissionais para trocarem experiências, mas com os papéis invertidos, com os menos experientes assumindo a função de mentor e liderando as conversas, é a síntese dessa prática.

Confrontar pontos de vista diferentes sobre um mesmo tema é uma forma de propiciar aos funcionários uma ampliação da visão da empresa e também da visão de mundo de cada um. E não pense que é apenas para questões de inovações tecnológicas que os mais novos podem contribuir, grandes problemas de gestão podem ser resolvidos ao escutar uma perspectiva diferente.

Como implantar esse tipo de mentoria?

Como todas as mudanças que se propõem a trazer ganhos para as organizações, a mentoria reversa não pode ser uma coisa imposta. Faça uma reunião com a equipe e, de forma didática e clara, explique o que é o programa de mentoria reversa e porque a empresa resolveu implementá-lo.

Com todos informados, abra um período para que os interessados em ser mentores manifestem esse interesse. Padronize as fichas de inscrição para que os candidatos deixem claros quais são suas áreas de atuação e habilidades e, após a escolha dos mentores, realize um workshop para prepará-los para o programa.

Estipule um tempo de duração para o programa e sugira uma dinâmica de atendimento, mas deixe para os escolhidos definirem os detalhes, como periodicidade de reuniões, por exemplo. Com o time de mentores definido, é hora de ver entre os colaboradores mais experientes quem tem interesse em participar.

A partir disso, monte as duplas da mentoria reversa. Você pode definir as duplas de acordo com as áreas de interesse, realizar um evento para os participantes sortearem seus parceiros ou solicitar ao RH que componha as equipes de acordo com os objetivos da instituição.

É essencial que as duplas sejam formadas por profissionais que não tenham uma relação hierárquica muito próxima para não inibir os jovens a exporem suas opiniões e prejudicar o processo de troca de ideias.

Quais os benefícios dessa prática?

Promover a mentoria reversa é uma forma de aproximar profissionais de diferentes gerações. Combinar a experiência dos gestores com a disposição dos mais novos é um meio de integrar a equipe e exercitar a empatia. Isso reflete na melhoria do clima organizacional, da comunicação interna, na motivação e no engajamento da equipe e no compartilhamento de valores e visões.

Estimular a diversidade é maximizar a produtividade e expandir os horizontes. Ao mesmo tempo em que profissionais em cargos diretivos recebem um feedback sincero e se reciclam, a empresa também pode identificar potenciais líderes e preparar o terreno para a próxima geração de executivos.

A mentoria reversa é uma relação simbiótica e, mais do que mentor e mentorado, quem ganha é a organização. Se ainda não está convencido, que tal ver como a Coca-Cola Brasil fez esse processo? A gigante mundial considerou um sucesso seu programa de mentoria reversa.

Agora você já está por dentro do que é a mentoria reversa! Gostou deste conteúdo? Acha que pode ser uma boa para as empresas? Então, compartilhe este artigo nas suas redes sociais para que mais organizações conheçam essa prática!

Posts recentes

Ver tudo