Conversas Francas

Você já deve conhecer a expressão metafórica inglesa um “Elefante na sala” certo? O dicionário inglês a define como “uma verdade óbvia que está sendo ignorada ou não abordada. Se aplica também a um problema ou risco óbvio que ninguém quer discutir. Baseia-se na ideia de que um elefante numa sala seria impossível ignorar mas mesmo assim, “as pessoas na sala” fingem que o elefante não está lá e evitam lidar com a questão. O que torna tão difícil enfrentar essas situações? Talvez o medo das consequências se encaramos a situação ou tentamos evitá-la. Todos conhecemos esse dilema: evitar ou enfrentar? Talvez o seu chefe esteja exagerando nas cobranças diárias e isso tem impactado a sua capacidade de entregar um bom trabalho. Você precisa dizer a um colega que ele não deixou você terminar a sua fala na reunião de ontem. Talvez você tenha medo de ser demitido pois a empresa está em reestruturação. Independente de qual seja o “elefante” da vez, damos voltas e mais voltas em torno das mesmas questões. Você pensa: Será que eu deveria abordar o assunto? Ou deveria guardar só para mim? Pense em um armário, as vezes já lotado, onde vamos armazenando mais e mais coisas todos os dias, adiando a tarefa de investir tempo e energia: jogando as coisas fora, reciclando, consertando ou doando. Um dia, você ou alguém com quem convive, coloca uma agulha lá dentro e as portas se abrem fazendo cair tudo em cima de vocês, de uma vez só – trazendo terríveis criaturas tipo baratas e insetos tóxicos que foram criados (não existiam) e contaminam todo o ambiente. Exageros didáticos a parte, é isso o que pode acontecer quando adiamos conversas importantes. Ficamos doentes! Esse mês recomendamos publicações que estamos lendo e relendo – super conectadas com esse tema: The Elephant in the Room de Diana Smith é repleto de casos reais que ela enfrentou como executiva e consultora de grandes empresas. Também trás técnicas de que como sair do modo ação e reação, identificando padrões que estão levando uma relação ao fracasso e consequentemente afetando os resultados da empresa. Conversas Difíceis de Douglas Stone e outros ilustres da turma do Projeto Harvard de Negociação. É leitura indispensável. Tem uma passagem do livro que, apesar de parecer dura, pode ser uma grande realidade:

“Enviar uma mensagem difícil é como atirar uma granada. Uma granada sempre causará estragos, mesmo se coberta com açúcar ou se jogada com força ou com delicadeza. Tente o quanto quiser, não há como atirar uma granada com tato e escapar das consequências. E guardá- la para você também não vai ajudar. Decidir não enviar uma mensagem difícil é como segurar uma granada depois de já ter puxado o pino”

Esperamos que esses clássicos ajudem você e a sua organização a dar um gás no diálogo por aí, aumentando assim, o bem-estar e a performance do time. E é claro, a gente está aqui para dar uma força! Venha participar das próximas turmas do Workshop Conversas Francas.

Saiba detalhes do programa aqui Boas conversas em 2020! Um grande abraço

#cursos #feedback #liderança #empatia #conversasdificeis #conversasfrancas #vulnerabilidade

Posts recentes

Ver tudo

Escolhi esse título para falar de uma etapa importante na vida de uma equipe, a etapa de conflito. De certa forma, todos nós tememos o conflito porque ele está relacionado à presença de emoções que no

Porque a hierarquia de necessidades de Maslow talvez não seja a melhor forma de entender as suas necessidades? Muitas pessoas têm compartilhado a Hierarquia de Necessidades de Maslow para explicar nos